Monthly Archives: Julho 2012

Análise da área ardida de Tavira

Graças À seguinte imagem relativo ao incêndio que devastou os concelhos de Tavira e São Brás de Alportel – que retirei do site do EFFIS – European Forest Fire Information System   (Obrigado à Ana Graça por me indicar o site) – posso rapidamente extrair uma conclusão: os acessos dificultaram em grande parte o combate ao incêndio – não sendo por acaso que a fronteira leste da área ardida coincide com a estrada nacional 397 que liga Tavira a Cachopo e a sul com a estrada municipal que vai acompanhando o vale do Rio Séqua (não me lembro da denominação, infelizmente) – e onde se situa o famoso “Pego do Inferno” (cujo posição aproximada é indicada pela seta) cujo ‘desaparecimento’ do respectivo coberto vegetal poderia muito bem ter sido evitado se não tivesse ocorrido a tão noticiada ‘descoordenação’. Um pouco mais de esforço e poderia-se muito ter evitado o desfalque de um local outrora tão paradisíaco.

Por outro lado, um importante núcleo de sobreiros (que produzia talvez da melhor cortiça do país) foi completamente destruído neste incêndio. Ficava situado entre São Brás de Alportel e o Barranco-do-Velho. Já em 2004 tinha ardido uma apreciável área na área entre as freguesias de Cacela (do concelho de Vila Real de Santo António) e da Conceição (de Tavira), depois de em 2003 ter sido a vez da Serra de Monchique. Resta pergunta: o que é que sobra arder !?

Image

Ler e-books do formato EPUB no Kindle

Tenho um Kindle da Amazon mas este dispositivo de leitura de e-books, mesmo sendo capaz de abrir nativamente   livros no formato PDF ou TXT, ou ainda os formatos dedicados MOBI e AZW (o formato nativo da Amazon, que é um derivado deste último).

A única “e-livraria” em Portugal que vende livros em formato electrónico é a Leya (www.leya.pt) e, ainda por cima, acontecia que o formato elegido era o EPUB com a protecção de direitos de autor da Adobe (DRM). Após pesquisa, percebi que o Kindle não lê EPUB’s, para mais equipados com protecção de direitos de autor. Mas como não queria estar a comprar um novo leitor de e-books só para ler os EPUB’s da Leya, optei por uma opção mista, que a Leya disponibilizava: adquirir o livro em formato tradicional de papel e adquirir o e-book respectivo a um preço baixo – e assim fiz, pois, na dúvida de que o Kindle não lesse o EPUB. Se isso acontecesse, ainda tinha o livro em formato tradicional para ler. O livro que ia adquirir era um que já pretendia há algum tempo, “O teu rosto será o último”, do escritor estreante João Ricardo Pedro, vencedor do Prémio Leya 2011.
Vim a perceber que existe uma ferramenta chamada Calibre, a que poderíamos chamar o “iTunes” dos e-books, uma vez que permite criar uma “biblioteca de e-books” à imagem de uma biblioteca do iTunes e transferir os livros de e para um leitor dedicado. E então o que percebi é que o Calibre, para além de abrir qualquer EPUB (com o senão de ter transferir o Adobe Digital Editions, um aplicativo para ler o e-book no computador (em qualquer sistema operativo), de forma a que a protecção de cópia possa ser “levantada” e o Calibre possa fazer o que tanto desejava, converter o EPUB num livro AZW, que o Kindle já consegue abrir.

A Adobe disponibiliza, aliás, para quem desejar experimentar o Calibre para fazer esta conversão, um conjunto de e-books de clássicos como o Dom Quixote ou a Alice no País das Maravilhas

Se viesse a saber que o Calibre fazia esta conversão, escusava de ter comprado o livro em formato papel. Mas com eles estavam a oferecer o pack livro em papel mais o e-book, o qual adquiri, acabou por ser o menos mal. Da próxima vez, já sei que posso comprar à-vontade qualquer e-book no formato EPUB uma vez que o Calibre faz o trabalho da conversão.