Blas de Lezo, o “meio-homem”

O almirante Blas del Lezo, comandou a armada espanhola durante a batalha para defender Cartagena das Índias (1741) com apenas 6 naus contra mais de cem dos ingleses. Ficou célebre por ter apenas 1 olho, 1 braço e 1 perna que lhe valeu o epíteto de “meio homem“.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Blas_de_Lezo?wprov=sfla1

The ugly truth behind Oculudentavis

Yesterday, I posted about the incredible discovery about the smallest ever found dinosaur. Today, another specialist decide to share the ugly truth about this discovery. It’s not the found in itself is in doubt, but the way in it was unearthed from. Read on.

http://markwitton-com.blogspot.com/2020/03/the-ugly-truth-behind-oculudentavis.html

The smallest dinosaur found to date, the size of hummingbird, revealed from a skull preserved in amber.

Scientists say a fossil from Myanmar represents the tiniest dinosaur ever found.

Source: Smallest dinosaur found ‘trapped in amber’ – BBC News

Como a inovação militar levou à criação da Suíça

Os suíços têm fama por não serem membros de nenhuma organização comum de defesa e terem conseguido manter-se neutrais durante perto dos últimos 200 anos na Europa, mas o seu passado e origem assentam na sua inovação em novas técnicas e instrumentos de guerra. Foram eles que introduziram as alabardas e os piques nos cenários de guerra europeus no fim da Idade Média. Sempre em desvantagem numérica, conseguiram derrotar os exércitos de França e do Sacro Império Romano-Germânico graças ao seu espírito pioneiro. A sua influência deixou marcas: influenciaram os espanhóis na criação dos terços (quando foram introduzidas as armas de fogo) e não é por acaso que a guarda pessoal do papa é a “Guarda Suíça”. Tudo isto explicado em mais um vídeo (em inglês) do canal “Kings and Generals” no Youtube.

“El dispendio del Duque: la Conjura de Andalucía”

El dispendio del Duque: la Conjura de Andalucía

El dispendio del Duque: la Conjura de Andalucía by Manuel Ángel López Taillefert
Classificação: 3 em 5 estrelas

Entre Portugal y España, esta es una historia de amor, política y traición. Ambientado en la atmósfera de la nobleza española, un capitán al servicio del duque de Medina Sidonia se enamorará de una conspirador,a socavando su plan y el suyo. Con la intención de recomponer el ambiente de la conspiración que trató de dar independencia a la región andaluza, el autor trata de ser fiel a los hechos históricos, pero peca por no poder seguir desarrollando la trama. Faltaba más acción en la narrativa.

Ver todas as críticas de livros

“Os Pilares da Terra”

Um reino, cujo rei morre sem herdeiro, deixando apenas uma filha como herdeira e a história trágica da morte do seu único herdeiro num naufrágio. Pelo meio a história de uma vila inglesa do interior, Kingsbridge, cujos monges pretender erguer uma catedral. Um construtor, a sua família precisam de sobreviver. Pelo meio, uma ex-freira e o seu filho que tem uma estranha vocação. Tudo são ingredientes onde o idealismo cristão, o amor, a época medieval e a vaidade humano se cruzam numa história à espera que um segredo temível para o futuro do reino de Inglaterra no princípio do século XII onde no fim todos no fim esperemos que triunfe sobretudo os sentimentos mais dignos da fé e do espírito humano. Concebida pela pena do consagrado escritor britânica Ken Follet, foi levada a uma série de oito episódios onde se destacam Rufus Sewell e Donald Sunderland.

Mais: The Pillars of the Earth – Trakt.tv

Sertório

Quinto Sertório, foi um renegado militar romano que se insurgiu contra o ditador Sula na Ibéria. Reuniu todas as etnias ibéricos sob o ideal romana na luta contra a tirania. Apesar de derrotado e morto à traição como Viriato, teve o condão de iniciar a “romanização” da península por via pacífica. Apesar de silenciado, o seu eco permanece não só pela forma como trouxe a cultura latina aos ibéricos, mas também pela sua bravura pela defesa dos ideais romanos e a forma como conseguiu congregar as tribos ibéricas sob uma mesma bandeira, como nos contam Plutuarco e Tito Lívio.

Aqui fica um vídeo deste notável romano, em inglês, pela qualidade já conhecida do canal “Kings and Generals”.

“Os prisioneiros da Geografia” de Tim Marshall

PrPrisoneiros da Geografia de Tim Marshall
Minha classificação: 5 de 5 estrelas

Li a tradução portuguesa e fiquei bem esclarecido em que medida a geomorfologia dos terrenos da superfície da Terra molda as nações. Para cada continente, um capítulo, mas sempre a mesma mensagem: fronteiras naturais como rios e cordilheiras continuam agora, como há dois mil anos, a suster o avanço no terreno de invasões. No fim, um aviso sobre as alterações climáticas e as consequências que terão no Árctico onde a Rússia parece já ter colocado as suas peças no xadrez geográfico da região preparado para qualquer eventualidade de disputar a supremacia no que irá aparecer quando o gelo desaparecer por completo! Ficou por fazer um capítulo sobre a Antárctida!

Ver todos os meus comentários

Carlos, Rey Emperador – série espanhola de TV

91c4vynjh6l._sx300_Esta série produzida pela TVE dá continuação à série Isabel. Decorrendo após a morte de Fernando de Aragão, em 20 episódios, segue  a vida do neto do rei católico desde a sua adolescência, quando regressa da Flandres, onde foi criado, a Espanha, para assumir o trono. A série  é pontuada inicialmente pelos nobres estrangeiros da corte flamenga (onde vivia o pai de Carlos, o falecido Filipe o Belo) e a sua influência sob o jovem herdeiro, em choque pelo trono com os partidários castelhanos do seu irmão mais jovem Fernando, que havia, ao invés de Carlos, sido criado em Castela. Tornando-se mais tarde sacro imperador, a série fala das intrigas com o seu arquirival francês Francisco e os conflitos de Carlos com a Santa Sé com vista ao reconhecimento do seu título imperial.

Portugal também aparece por diversas vezes no argumento, nomeadamente os nossos reis Manuel e João III, visto que ambos casam com irmãs de Carlos, Leonor e Catarina, respectivamente. Por outro lado, Carlos desposa a infanta Isabel, tida como uma das mulheres mais belas do seu tempo. Dessa relação nasce o futuro rei Filipe II, que mais tarde irá sentar-se no trono português. 

Com inúmeros personagens históricos, e retratando diferentes cortes, desde a castelhana, passando pela portuguesa, francesa, inglesa e flamenga, a série tenta manter a factualidade histórica, sendo que no entanto o desfilar de tantos personagens históricos faça confusão porque não são introduzidos propriamente perante a audiência. O papel dos conquistadores como Hernán Cortez têm um destaque prepoderante na série, mas Fernão de Magalhães é completamente esquecido e isto é uma lacuna, porque afinal foi este último que permitiu que Carlos se tornasse o primeiro monarca europeu de um “império onde o sol nunca se punha”. 

Source: Carlos, Rey Emperador – Trakt.tv